ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Suspeitos de sequestrar médica em Erechim teriam alugado casa em Itá, aponta investigação


As investigações do sequestro de Tamires Gemelli Silva Mignoni, a médica que ficou desaparecida por cinco dias após ser abordada em Erechim (RS) na sexta-feira (16), apontam que os sequestradores teriam alugado uma casa no Oeste catarinense. As informações foram repassadas em coletiva de imprensa na quinta-feira (22). O local escolhido foi o interior de Itá, no Alto Uruguai. Porém, o mentor do sequestro teria lido uma notícia em um site, momento em que resolveu mudar de cativeiro.

 Ainda conforme a investigação da Polícia Civil, durante o sequestro, os suspeitos teriam passado pelos municípios de Chapecó e Itá, no Oeste de Santa Catarina.Tamires Regina Gemelli da Silva Mignoni, de 30 anos que havia sido sequestrada, foi resgatada na noite de quarta-feira (21) após ficar cinco dias desaparecida. A Polícia Civil localizou a vítima no município de Cantagalo, no Paraná. Ela é filha do prefeito de Laranjeiras do Sul (PR).

Detalhes da investigação, que é realizada pela Polícia Civil, apontam que na passagem pelo Oeste de Santa Catarina, o mentor do sequestro temeu que o carro tivesse sido identificado. Portanto, ele alugou outro veículo e uma casa em Cantagalo – há 30 km do município em que pai de Tamires é prefeito e candidato à reeleição.

Até o momento, quatro suspeitos de envolvimento com o caso foram presos e dois deles foram liberados após prestarem depoimentos. Na coletiva de imprensa, a Polícia informou que as investigações ainda não foram concluídas. De acordo com a apuração realizada até o momento, Tamires foi abordada enquanto saía da Unidade Básica de Saúde onde trabalha, no bairro Aldo Arioli, em Erechim (RS). 

Os suspeitos teriam pedido resgate de R$ 2 milhões ao pai da vítima, valor que não foi pago. Eles ainda teriam efetuado duas ligações para o pai de Tamires, que foram fundamentais para que a Polícia localizasse o cativeiro em que ela estava aprisionada. Tamires não sofreu lesões durante a ação dos suspeitos.

Acesse as notícias do Tílias News no WhatsApp.

Informações e foto: AUOnline