ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Igreja Católica beatifica adolescente italiano conhecido como 'padroeiro da internet'


A Igreja Católica beatificou, neste sábado, o adolescente italiano Carlo Acutis. A cerimônia religiosa,o primeiro passo para a santificação, foi feita na Basílica de São Francisco de Assis, na Itália, e contou com a presença da família do jovem. A solenidade sobre o primeiro “influencer” beato também foi transmitida ao vivo pela internet.

O adolescente morreu, no dia 12 de outubro em 2006, aos 15 anos por causa de uma leucemia, em Monza, na Itália. Conhecido como “padroeiro da internet”, sua beatificação foi anunciada após a Igreja reconhecer o que considera ser um milagre feito por Acutir a um menino no Brasil.

Ele foi declarado "venerável" em 5 de julho de 2018. Quase um ano depois, seus restos mortais foram transferidos para Assis. De acordo com a Igreja, o corpo do adolescente ainda está “intacto”, com sua calça jeans e tênis. O Vaticano afirma que os restos mortais foram "recompostos", mas não detalha o processo.

A data de celebração do jovem beato passa a ser 12 de outubro, a mesma data em que se celebra o Dia de Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil. Apesar de ter morrido muito jovem, o adolescente, agora beato, dedicou grande parte de sua vida ao catecismo online e à criação de redes para conectar mais de 10 mil paróquias. Jovem, ele amava jogar futebol e videogame, além de comer nutella e sorvete.

O milagre

A intenção para beatificação de Acutis começou em 2013, quando a família de um menino do Mato Grosso do Sul disse que o garoto se curou de uma doença grave após tocar em uma relíquia do beato, uma roupa que tinha o sangue do adolescente.

Hoje, a relíquia está em uma paróquia em Campo Grande, comandada pelo padre Marcelo Tenório, que faz missas ao beato todo dia 12 de outubro.

A beatificação é o primeiro passo para se tornar santo da Igreja, que é necessário ter intercedido dois milagres.

O jovem é considerado pelo papa Francisco "brilhante" e "criativo", um exemplo para as novas gerações.
Fonte: G1