ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Professor de SC monta biblioteca aberta ao público no muro de sua casa: ‘Para fazer da leitura um hábito cotidiano’

Projeto idealizado por Jailson Cordeiro existe há dois anos em Joinville, no Norte do estado. Para ter acesso aos livros, basta passar pelo local, escolher um, ler e devolver quando terminar


A vontade em estimular o hábito de leitura foi o que motivou o professor e servidor público Jailson Cordeiro a transformar o muro de sua casa, em Joinville, no Norte catarinense, em uma biblioteca pública, gratuita e para todos. A estrutura colorida não passa despercebida por quem anda pela rua Barra Velha, no bairro Floresta. Para participar, basta ir até o local, escolher um livro, ler e devolver quando terminar.
“Pensei em como fazer para tornar popular a literatura e fazer da leitura um hábito cotidiano”, conta o professor, que já desenvolveu outros projetos nas áreas de dança e música.
Na biblioteca, podem ser encontrados livros de temas diversos, dos infantis aos livros didáticos. Em abril deste ano, o projeto completou dois anos desde que saiu do papel. De acordo com Jailson, foi inspirado nas hortas comunitárias feitas em calçadas.

Jailson Cordeiro é professor e montou a biblioteca com o objetivo de estimular o hábito de leitura em sua comunidade — Foto: Arquivo pessoal

Com a ideia na cabeça, a oportunidade de colocá-la em prática surgiu em 2018, durante um curso em São Paulo. Com o tema “criatividade e inovação”, a capacitação tinha como desafio final fazer algo criativo com apenas R$ 10

“Comprei materiais pra construção, um pouco de parafusos, silicone e pregos. O restante do material eu já tinha qui em casa, algumas madeiras, um pedaço de acrílico e mais alguns acessórios, então foi só colocar em prática o que já estava desenhado”, contou.
O professor explica que teve a ideia do projeto, mas foi o amigo Maurílio Morais quem a concretizou, construindo manualmente a primeira versão da estrutura fixada ao muro de sua casa.
“Para evitar perdas, construímos a última versão, com material bem mais resistente. Como ela é toda fechada, não entra água. Já resistiu até aos ventos do último e recente ciclone”, recorda.

O grafite que coloriu a versão atual da biblioteca ficou por conta do artista José Malinoski.

Estrutura colorida foi fixada ao muro da casa do professor, no bairro Floresta — Foto: Arquivo pessoal

A ideia deu certo e rendeu frutos. Um financiamento coletivo vai permitir a instalação de duas novas bibliotecas. De acordo com o professor, elas estão em fase de montagem e devem ser colocadas em casas também, em bairros e regiões diferentes da cidade para aumentar a oferta de livros.
“Um dos bairros é o João Costa, e para a outra ainda estou procurando local, mas vai ser nas zonas norte ou leste de Joinville”, adiantou.
Outras duas novas bibliotecas de muros estão em fase de construção e devem ser instaladas em outros bairros da cidade — Foto: Arquivo pessoal


Pertencimento à comunidade

Mais do que estimular a leitura, Jailson conta que desde o início o projeto buscou conceber uma ideia de pertencimento à comunidade do bairro. A biblioteca está à disposição de todos, conforme ressalta o professor.
Ele conta que é difícil estimar a quantidade de pessoas que já emprestaram livros. “Como fica na rua, não vejo todos que passam, mas acredito que pelo menos 10 pessoas por semana pegam livros”, diz.

Pela biblioteca, já passaram mais 1 mil exemplares, conforme conta o professor. Desses, pelo menos 300 estão cadastrados em um aplicativo que registra os livros a partir do código de barras.

Biblioteca de muro ganhou uma nova versão com estrutura reforçada — Foto: Arquivo pessoal

Com a chegada da pandemia, foi colocado um frasco de álcool junto à prateleira para que os leitores possam fazer a higienização antes de pegar ou devolver algum exemplar.


O projeto aceita doações de livros, que podem ser deixados na casa de Jailson ou na própria biblioteca.






Fonte: G1