ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Governo endurece medidas contra a COVID em 8 regiões a partir desta segunda-feira


O Governo do Estado anunciou a ampliação das medidas de distanciamento social no Estado para oito regiões classificadas em situação gravíssima, de acordo com a matriz de avaliação de risco regionalizada de enfrentamento ao novo coronavírus.

O novo decreto, publicado no Diário Oficial do Estado, suspende o transporte coletivo urbano municipal e intermunicipal de passageiros por mais sete dias a partir de segunda-feira, dia 10 de agosto, nas seguintes regiões de saúde: Alto Vale do Itajaí, Médio Vale do Itajaí, Foz do Rio Itajaí, Nordeste, Carbonífera, Extremo Sul, Alto Vale do Rio do Peixe e Meio Oeste.

A concentração e a permanência de pessoas em espaços públicos de uso coletivo, como parques, praças e praias também fica suspensa a partir deste sábado, 08, por sete dias nas oito regiões. As medidas abrangem 133 municípios, que representam 55,5% da população catarinense. Para as regiões classificadas em risco grave (cor laranja no mapa), a retomada do transporte coletivo fica autorizada pelo Governo estadual, porém as prefeituras possuem autonomia para restringir essas atividades.

O texto do novo decreto também prevê novas regras de testagem, monitoramento e rastreabilidade de contatos em casos de coronavírus nas empresas. As normas estão sendo construídas em conjunto com as entidades representativas dos setores e serão publicadas em Portaria do Centro de Operação de Emergência em Saúde (COES).

O decreto também ampliou, ainda, por mais 14 dias, a partir de segunda-feira, 10, a suspensão de atividades culturais, como cinemas, museus, espetáculos e shows, e da abertura de casas noturnas. As competições esportivas estão liberadas para acontecer sem a presença de público e seguindo o regramento determinado pelo COES, também pelo prazo de 14 dias a contar de segunda-feira, 10. As aulas presenciais dos ensinos infantil, fundamental, médio e EJA seguem proibidas até o dia 7 de setembro nas redes pública e privada.





Fonte: Secom