ÚLTIMAS NOTÍCIAS

HUST tem apenas 2 vagas na UTI da ALA COVID e prefeitura diz que vai intensificar fiscalização no comércio


A taxa de ocupação de leitos na UTI da ala covid-19 do Hospital Universitário Santa Teresinha Joaçaba (HUST) passou dos 80% no final de semana. Dos 7 leitos de UTI, 5 estão ocupados com pacientes. Na ala de enfermaria, dos 10 leitos, 6 estão ocupados. O diretor do Hospital, Alciomar Marim, disse em entrevista a Rádio Catarinense, na manhã desta segunda-feira (22) que existem 4 respiradores que foram repassados pelo Estado, que ainda não estão funcionando plenamente, e que poderiam ser usados, desde que ocorra um complemento com bombas de infusão e de nutrição e habilitação destes leitos via repasse de recursos, aumentando com mais 4 leitos o setor de Covid. O hospital também pode ampliar o setor de enfermaria, segundo ele. Uma medida adotada hoje foi o cancelamento dos procedimentos eletivos, não emergenciais, durante esta semana.

Os prefeitos da região, por conta dos números que continuam numa escala ascendente, estarão se reunindo neste início de semana. A Associação dos Municípios do Meio-Oeste Catarinense (AMMOC) realizará reunião nesta terça-feira (22) para tratar do assunto e definir medidas em conjunto. Um dos assuntos em pauta será a possibilidade e necessidade de se implantar um Hospital de Campanha para “desafogar” o HUST. Alguns locais já foram sondados no início da pandemia, como por exemplo o CPJ nas margens da BR-282 e também o pavilhão Frei Bruno ao lado da Igreja Matriz. Mas o projeto precisa ser melhor estudado, pois os profissionais da saúde entendem que um hospital de campanha também depende de mão de obra qualificada, principalmente para manusear equipamentos e atender os pacientes.


Em Joaçaba o prefeito Dioclésio Ragini convocou uma reunião para a tarde de hoje com os secretários e o Ministério Público e mais a Regional de Saúde. A ideia é analisar os números, definir algumas medidas. Segundo o Secretário de Saúde, Valmor Reisdórfer, uma delas será a intensificação da fiscalização das normas sanitárias junto aos estabelecimentos comerciais que não estão cumprindo o que consta em decreto.





Fonte: Rádio Catarinense