ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Ibama autoriza cultivo comercial de macroalga no estado catarinense

Produto, utilizado na indústria farmacêutica e alimentícia, é altamente valorizado no mercado

Santa Catarina poderá cultivar e comercializar macroalgas (Foto: Epagri)

Os maricultores catarinenses terão mais uma importante alternativa de renda. Nesta quinta-feira, dia 24, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) autorizou o cultivo comercial da macroalga Kappaphycus alvarezii no Litoral de Santa Catarina. O produto, utilizado na indústria farmacêutica e alimentícia, é altamente valorizado no mercado e pode ser combinado com o cultivo de ostras, mexilhões e vieiras. Este será mais um mercado exclusivo de Santa Catarina.

"Mais uma boa notícia para o agronegócio catarinense. Ao longo de 2019 fizemos várias tratativas com o Instituto do Meio Ambiente, Ministério da Agricultura, Secretaria de Aquicultura e Pesca e Ibama para a liberação do cultivo de macroalgas em Santa Catarina e hoje colhemos os resultados. Os maricultores catarinenses terão mais uma alternativa de renda", comemora o secretário de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, Ricardo de Gouvêa.

A Instrução Normativa do Ibama autoriza o cultivo comercial Kappaphycus alvarezii entre os municípios de Itapoá e Jaguaruna. O pesquisador do Centro de Desenvolvimento em Aquicultura e Pesca (Epagri/Cedap), Alex Alves dos Santos, explica que a decisão traz a possibilidade de diversificação dos cultivos marinhos, aumento dos lucros para os maricultores, maior oferta de emprego e renda nas comunidades tradicionais.

"Além desses benefícios, talvez a maior contribuição seja ambiental, pois as algas são a base da cadeia alimentar aquática e absorvem nutrientes da água para promover seu crescimento, favorecendo a vida marinha. Com essa autorização, os próximos anos serão de muito trabalho para a Epagri, para a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e principalmente para os maricultores que juntos estarão construindo uma nova cadeia produtiva na história do agronegócio catarinense", reforça.


Por possuir propriedades gelificante, espessante, estabilizante e emulsificante, a macroalga é utilizada em diversas indústrias como farmacêutica, química, alimentícia e têxtil.


Fonte: Oeste Mais

Nenhum comentário