Notícias Gerais

Animal raríssimo é observado por cientistas pela primeira vez em quase 30 anos

O exemplar da espécie 'Tragulus versicolor' se assemelha a um cervo, mas possui o tamanho de um coelho


Os animais foram vistos no Vietnã depois de quase 30 anos (Foto: Divulgação)


Por quase 30 anos, uma espécie ficou bem escondida dos olhos humanos, o que levou os cientistas a acreditarem que o animal fora extinto da natureza. Mas ainda bem que não! A redescoberta da espécie no sul do Vietnã foi publicada na revista científica Nature Ecology & Evolution e está incentivando os esforços para proteger o este e outros animais selvagens misteriosos e extraordinários que vivem no local.


Com o nome cientifico Tragulus versicolor, ele se assemelha a um cervo (mas com o tamanho de um coelho) e conta com um pelo abrilhantado. O animal foi observado pela última vez no ano de 1990 segundo o relato da organização Global Wildlife Conservation (GWC).

Para An Nguyen, cientista associado da GWC e líder da equipe de expedição, foi uma grande surpresa encontrar o animal. "Por tanto tempo, essa espécie aparentemente só existia como parte de nossa imaginação. Descobrir que ainda está lá fora é o primeiro passo para garantir que não a percam novamente e estamos avançando rapidamente agora para descobrir a melhor forma de protegê-lo."


O Tragulus versicolor foi descrito em 1910 com quatro exemplares vistos no sul do Vietnã, e uma expedição russa em 1990 no Vietnã encontrou um quinto indivíduo. Os cientistas não sabem quase nada sobre a ecologia geral ou status de conservação dessa espécie, tornando-a uma das maiores prioridades de conservação de mamíferos no local. 

A equipe entrevistou moradores de três províncias vietnamitas na tentativa de descobrir o paradeiro potencial dos animais. Apesar de não ter documentação de sua existência por todos esses anos, os moradores locais sabiam que eles ainda estavam vivos.

Os pesquisadores montaram três armadilhas fotográficas por cinco meses em uma área do sul do Vietnã onde os habitantes locais disseram ter visto o animal e conseguiram 275 fotos da espécie. Então a equipe montou outras 29 câmeras na mesma área, desta vez tirando 1.881 imagens.


Ainda não está claro quantos destes animais existem na natureza, mas os pesquisadores ficaram impressionados com resultados e esperam realizar mais buscas.



Fonte: Revista Galileu

Nenhum comentário