Notícias Gerais

Projeto da Aurora proporciona reencontro de mãe e filho


Foram 36 anos de saudades e dúvidas. Tempo suficiente para um menino se tornar homem e formar uma família. Mas a vontade de reencontrar a mãe que não via desde os dois anos de idade seguia forte. Esse mesmo tempo feriu o coração de uma mãe, que nunca desistiu do sonho de rever o filho.

Essa é a história de Paulo dos Santos, empregado da unidade da Aurora Alimentos em Abelardo Luz (SC). Graças a uma ação de endomarketing da cooperativa, pode voltar a ter esperança. O Baú dos sonhos faz parte das comemorações do cinquentenário da Aurora e incentiva os empregados a compartilharem um desejo que gostariam que fosse realizado. Foram cerca de 2.500 sonhos depositados no baú e 120 selecionados pelas unidades. Destes, serão 84 sonhos transformados em realidade.

Na tarde de quarta-feira (16), foi a vez de Paulo se entregar à emoção. “Meu sonho maior é de encontrar minha mãe. Nunca dei um abraço nela”, foi o que ele escreveu no cupom de participação e que emocionou a equipe responsável pela seleção.

A diretora social da Fundação Aury Luiz Bodanese, Sonara Bergamo Ramos, que foi quem encontrou a mãe de Paulo, contou que foi um desafio grande. “Foram cerca de 60 dias de buscas e contatos. Tivemos muita dificuldade, pois só tínhamos um nome e um endereço com a cidade errada”, explicou. Mas com a ajuda da polícia e de contato com o Centro de Referência de Assistência Social (Cras) de Pinhalzinho, chegaram à Catarina Bueno naquele município e, com a certidão de nascimento de Paulo, confirmaram que ela era de fato a mãe que ele queria abraçar. “Cada contato, cada informação foi muito importante para chegar até esse momento. Então, o coração fica emocionado”, destacou Sonara.

Catarina conta que se separou do marido e ele levou os dois filhos mais velhos embora - Fátima, que hoje reside em São Miguel do Iguaçu/PR e, por isso, não pode estar presente no reencontro, e o Paulo, morador de Clevelândia/PR. Ela, que estava grávida de seis meses da filha mais nova, Silvana, perdeu o contato com o ex-companheiro e nunca mais soube do paradeiro dos filhos. Mas o desejo de reunir a família era recíproco: tanto a mãe quanto o filho passaram todos esses anos sonhando com este momento e ambos chegaram a escrever cartas para programas de televisão contando suas histórias, mas sem sucesso.

SURPRESA

Com a intenção de proporcionar um momento especial, a equipe do Baú dos Sonhos decidiu fazer uma surpresa. Paulo foi informado de que não foi possível localizar sua mãe. Então, escolheu um novo sonho: levar a esposa e as três filhas para conhecer a unidade da Aurora em que trabalha. O que foi prontamente atendido e ele pode inclusive apresentar uma canção para os quase 300 colegas presentes. A música interpretada foi As Andorinhas, do Trio Parada Dura que, segundo ele, foi escolhida porque essas aves não vivem sozinhas, assim como a família Aurora, que se une para o bem de todos.

Neste momento solene, o monitor de produção da unidade de Abelardo Luz, Tiago Fillipini, pode falar sobre o seu sonho que foi realizado na semana anterior. Ele queria conhecer o presidente da Cooperativa Central Aurora Alimentos, Mario Lanznaster. “Foi excepcional. O Mario é um dos meus ídolos e ele faz parte da melhoria da minha vida. Graças a ele e à Aurora posso pensar em um futuro”, contou.

As falas e apresentações foram planejadas para aumentar a expectativa. Até que aqueles que sabiam do segredo não puderam mais esconder a emoção. Catarina, que estava escondida desde o início do momento, foi chamada ao palco e pode finalmente abraçar o filho, de quem não largou mais o braço no restante da tarde. “Vivi muito tempo sem conhecer minha mãe. Não tem dinheiro que pague isso, só tenho a agradecer à Aurora. Estou muito feliz”, comemorou Paulo que confessou já estar desconfiado da surpresa. “Agora não largo mais, passei muito tempo longe dele. Não queria morrer sem encontrar meu filho e agora estou realizada”, se emocionou Catarina.

Paulo também pode conhecer a irmã e as duas sobrinhas. Catarina encontrou a nora e as três netas. E, quando os corações se acalmaram, já faziam planos de encontrar a filha mais velha para, finalmente, após mais de 30 anos, ter a família completa. A analista social da Aurora, Taise Giacomassa, que fez parte da equipe de seleção da unidade de Abelardo Luz, ressaltou que esse sonho foi escolhido por estar alinhado com a filosofia da Aurora, que também é uma família.

O PROJETO

A campanha Baú dos Sonhos surgiu a partir do comitê formado para comemorar o cinquentenário da Aurora, especificamente para atender o público interno. “A ideia seria realizar 50 sonhos de forma singela, mas sonhos que significassem muito aos empregados”, explicou a assessora da diretoria e uma das idealizadoras da ação, Paula Klauck. “Foram mais de 2.500 sonhos inscritos, sendo que vamos conseguir superar a meta, realizando 84 deles”, complementou. “Vemos que as pessoas às vezes têm sonhos que parecem pequenos, como conhecer o presidente da Aurora, levar os familiares para visitar a unidade, ir a um jogo da Chapecoense ou que os filhos entrem em campo com os jogadores”, enumerou. “Para quem participou da seleção dos sonhos, esse momento é muito gratificante”, finalizou.












Fonte: MB Comunicação Empresarial/Organizacional