Notícias Gerais

Motivado por sonho de infância, casal constrói casa de pedras em Ponte Serrada

Castelinho foi construído no interior do município há mais de dez anos



Era uma vez, uma mulher que sonhava em viver em uma casa de pedras, rodeada de coisas bonitas e da natureza. O sonho era algo distante na infância dela, porém, com o passar do tempo, essa mulher cresceu e pôde realizá-lo.


Maria e seu castelinho dos sonhos (Foto: Arquivo pessoal)

Maria Amadori de Almeida, de 73 anos, desde muito nova sonhava com isso, como a mãe contava nas histórias de seu passado. Ela conta que Josefina Bazanela, hoje já falecida, já havia morado em uma casa de pedras na juventude e essa história sempre instigava Maria com a vontade de ter uma casa de pedras para morar.

Segundo Maria, o pai Genuíno Amadori, também já falecido, naquela época criava cobras num pequeno criadouro todo feito de pedras, que antes era de seu avô, a então casa que a mãe de Maria sempre falava. Essas cobras que Maria conta eram chamadas de cobra nova, mansinhas e grandes, e serviam para comer os ratos que viviam por lá.

O avô de Maria, quem criou o criadouro, colou pedras dentro de um barranco na beira da estrada para deixar as cobras protegidas. “Me lembro até hoje como era a porta desse criadouro, era toda feita a facão bem estreita feitas com aquelas tábuas pequenas. As cobras, como meu pai contava, eram meio cinzas e comiam os ratinhos de noite, e de dia voltavam para dentro do criadouro”, lembra.

Quando Maria tinha seus 15 anos, passava a maior parte do tempo nesse pequeno criadouro só para entrar na casinha de pedras. “Eu adorava entrar lá, achava interessante. Adorava aquelas pedras cheias de musgo, aquele lugar úmido e sempre levei comigo a ideia de que queria morar dentro de uma gruta, algo que fosse de pedras”, conta.




Depois de um tempo, Maria conheceu Pedro de Almeida, o homem com quem se casou e teve o primeiro e único filho. Segundo ela, o esposo a agradava de todas as formas possíveis e isso incluía alimentar o sonho de infância tão desejado.


Fase de construção do castelinho em 1995 (Foto: Arquivo pessoal)

A construção da casa de pedras iniciou em 1995 e, a partir daí, os dois se dedicaram ao máximo para que a ideia desse certo. Após um tempo, os dois precisaram contratar o pedreiro Neri Pinto para ajudá-los na finalização da casa, devido a um problema de saúde de Maria.

A ajuda dele foi fundamental para a obra, pois com o trabalho de Neri, Maria e Pedro conseguiram fazer tudo um pouco mais rápido. As paredes foram ganhando forma, as janelas ficando casa vez mais perfeitas e o teto se erguendo para dar segurança. Com o passar do tempo, apenas faltava a garagem da casa. Essa parte eles fizeram de tijolos, pois era uma parte da casa que não ocupariam tanto, apenas para guardar os carros.

Em meados de 2005, com 255 metros quadrados, a casa ficou pronta. Do jeito que Maria sempre sonhou. Foram dez anos construindo, todo o dia com pausas entre uma parede e outra e muito trabalho.

“As pessoas se admiravam com a nossa ideia de construir um castelinho, eu adorava porque as pessoas iam nos visitar e viam aquele pedacinho da casa em pé e nos perguntavam por que estava demorado tanto para fazer. Eu via nos olhares das pessoas, o orgulho que eles tinham de nós”, conta.

Maria afirma que a construção aconteceu não só pelo sonho de infância, mas também por amor ao filho Edson, a mulher dele, e os netos Gabriel, Luisa e Laura. Com o término da casa, Maria pensava que não teria nada para oferecer aos netos, e além da casa construída, veio mais uma ideia, que foi a construção da casa na árvore. A casa mais sonhada por todas as crianças, para brincar, passar a noite e tomar chá com os avôs.

Com uma grande paixão por animais, Pedro construiu casinhas para seus cachorros de estimação. As casinhas ganharam o design perfeito como o do castelinho. Foram três casinhas construídas ao lado da casa, todas iguaizinhas e charmosas.

“Não tínhamos uma vida sofrida, era tudo muito bom. Todo esse tempo para concluir a obra e eu só imaginava a gente morando dentro da casa. Éramos muitos felizes”, relembra Maria.

Pedro hoje é falecido, mas antes de morrer, deixou a alegria nos olhos e na vida de Maria. Além de realizar o grande sonho de infância da esposa, Pedro deixou saudades no coração de quem o conheceu. Hoje morando sozinha na casa que tanto esperou para ficar pronta, Maria divide seu tempo com os cachorros e a natureza, por quem tanto teve apreço.


Casa na árvore e casinha dos cães de Maria (Fotos: Kiane Berté/Oeste Mais)

Curiosidade

Maria sempre foi muito espirituosa, sempre acreditou muito em Deus e Nossa Senhora Aparecida. Foi por esse motivo que construiu uma capelinha para fazer suas orações. Além da capelinha, Maria guarda um segredo sobre a casa. Esse segredo está escondido dentro de um dos pilares da moradia, fica na coluna onde divide a sala.

Com muita fé, ela escreveu muitos pedidos enquanto construía a casa e junto com a imagem de Nossa Senhora Aparecida, Maria colocou dentro de um pote de vidro, onde o encaixou na parede e chumbou com concreto. Para ela, essa foi uma das maneiras de proteção a ela e sua família.

Além de querer proteger a moradia, Maria tem mais um sonho que gostaria de realizar dentro do castelinho. Abrir um convento para mulheres viúvas. “Eu peço, todos os dias, para que essas viúvas doidas me acompanhem nesse sonho”, conta rindo. “Mas esse sonho é meu e tenho certeza que nenhuma viúva iria ficar doente nesse lugar porque iria ser tudo muito bom, tanto de coração, na amizade, no amor, viver com os animais na natureza, com os peixes que vivem lá no açude. Quero que isso se torne realidade”, sorri emocionada.

O castelinho fica no interior de Ponte Serrada, no Oeste catarinense. Ele não é considerado um ponto turístico no município, mas já recebeu visitas de pessoas de todas as regiões, além de muitos fotógrafos que vão até o local para registrar momentos importantes de seus clientes.


Além de Maria, muitas outras pessoas estão podendo sonhar e viver com ela um conto de fadas na sua casa dos sonhos.





Fonte: Oeste Mais