sexta-feira, 13 de setembro de 2019

Governo corta a verba pública do filme "Marighella" e seu lançamento é cancelado

O filme faz apologia ao guerrilheiro comunista marxista-leninista brasileiro que ajudou a organizar um levante armado contra o país durante o regime militar


Os produtores de Marighella enviaram à imprensa uma nota sobre o cancelamento da estreia do filme, que estava previsto para chegar aos cinemas no dia 20 de novembro.Continua depois da publicidade

Dirigido pelo ator Wagner Moura e estrelado por Seu Jorge no papel-título, o filme esbarrou na nova política administrativa da Ancine, que bloqueou a liberação de verbas públicas para a produção. Segundo os produtores, eles precisam ser "ressarcidos" pelo que já investiram no filme. 


“Nós, produtores do longa-metragem Marighella, dirigido por Wagner Moura, anunciamos que a data de lançamento do filme nos cinemas brasileiros, divulgada anteriormente para 20 de novembro de 2019, está cancelada", diz uma nota divulgada pela produção.

"Os produtores haviam escolhido o mês de novembro, que marca os 50 anos de morte de Carlos Marighella, e o dia 20, da Consciência Negra, para a estreia. No entanto, a O2 Filmes não conseguiu cumprir a tempo todos os trâmites exigidos pela Ancine (Agência Nacional do Cinema)", continua a nota.


O não repasse de verbas públicas para o filme é uma decisão que reflete a visão do atual governo Bolsonaro, visto que o drama faz apologia a Carlos Marighella, que foi um guerrilheiro comunista marxista-leninista brasileiro que ajudou a organizar um levante armado contra o país durante o regime militar.

Neste sentido, para muitos Marighella foi na verdade um terrorista, e não um "herói", como retrata filme. 


Fonte: Opinião Crítica
Mais Notícias