Notícias Gerais

Em função da alíquota de 17% nos defensivos produtores se articulam para protestos em Santa Catarina


É grande a insatisfação do setor produtivo do agronegócio catarinense em função da informação de que o governo do Estado, numa decisão liderada pelo governador Carlos Moisés, mantém a decisão de adotar alíquota de 17% de ICMS na venda de defensivos agrícolas em SC quando nos Estados vizinhos a produção é isenta.

Em função disso, o setor está organizando um grande protesto no Estado. Pretende colocar tratores, colheitadeiras e veículos nas ruas. É uma decisão já tomada, só não está confirmado o dia, informam fontes do setor.

O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado (Faesc), José Zeferino Pedrozo, conclui que quem decide esse tipo de alta de impostos quando Estados vizinhos e quase todo país pratica alíquota zero, desconhece a importância da agricultura catarinense.

Pedrozo argumenta que a moderna agricultura praticada no Brasil e, em especial em Santa Catarina, é uma atividade orientada pela ciência e tecnologia. As últimas informações do governo foram de que a Fazenda falará com setores atingidos por cortes de incentivos, mas a volta da tributação aos agroquímicos é uma decisão já tomada.


O setor produtivo vai protestar para tentar reverter a decisão que, segundo ele, resultará em prejuízos e desemprego. Os parlamentares do Estado já estão convencidos desses riscos. Um pedido de audiência com o governador foi feito no início do ano, mas o setor ainda não teria sido atendido.

Fonte: NSC