Notícias Gerais

Mortes de crianças em estradas caíram quase 20% desde início de multas por falta de cadeirinha

Profissionais ligados a segurança no trânsito comentam sobre a importância do uso do dispositivo


As mortes de crianças em acidentes nas estradas diminuíram quase 20% desde que a obrigatoriedade do uso de cadeirinhas nos carros passou a ser fiscalizada, em 2010. É o que aponta um estudo do Conselho Federal de Medicina, da Sociedade Brasileira de Pediatria e da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet), com base em dados do Ministério da Saúde.

Em 2010, quando as multas pela falta do uso do dispositivo de retenção começaram a ser aplicadas no Brasil, 346 crianças, com até 9 anos, morreram nas rodovias. Em 2017 (dados mais recentes), foram 279, um número 19,4% menor.

E o número de internações de crianças em estado grave caiu 33%: foram 814 em 2010 e 549 em 2017.

Um projeto de lei encaminhado no início deste mês pelo governo de Jair Bolsonaro ao Congresso pretende acabar com a multa para o motorista que levar criança fora da cadeirinha. Pelo texto, a infração será punida apenas com advertência por escrito.


Independentemente da sanção aplicada, profissionais de setores ligados ao trânsito são unânimes em relação imprescindibilidade do uso dos dispositivos de segurança, seja por adultos ou bebês e crianças.

Fonte: Auto Esporte