quinta-feira, 6 de junho de 2019

O que é a Síndrome dos Ovários Policísticos?

Nossa endocrinologista Dra Amanda dos Santos Dal Berto, nos explica melhor.


A Síndrome dos Ovários Policísticos, também conhecida como SOP, afeta de 6 a 20% das mulheres em idade fértil, sendo a afecção endocrinológica mais comum nesta população. A SOP é uma doença multifatorial, acontece principalmente em mulheres susceptíveis e com fatores de risco. Ainda não se sabe a causa definida da SOP, mas dentre os fatores de risco estão: história familiar, resistência à insulina, puberdade precoce. 


Sabemos que o excesso de peso pode exacerbar os fatores genéticos e que mulheres com SOP tem aumento de chance de desenvolver diabetes tipo 2, obesidade, aumento dos níveis de colesterol e consequentemente tem aumento do risco cardiovascular.

As manifestações clínicas são muito variáveis, mas as principais são anovulação, que leva a irregularidade menstrual; aumento dos hormônios masculinos (testosterona), e como consequência aumento de pelos e espinhas; aumento do tamanho dos ovários com aspecto de microcistos na ultrassonografia; infertilidade e alterações metabólicas, como aumento da glicemia e do colesterol. 

Uma das queixas recorrentes é a dificuldade para engravidar, acontece em cerca de 40% das mulheres com SOP e está relacionada com a anovulação.

O excesso de pelos e espinhas também é muito comum, ocorrendo em cerca de 75% dos casos. A intensidade, localização e espessura dos pelos depende da etnia de cada mulher, sendo que mulheres de origem asiática tendem a queixar-se menos. O excesso de pelos na SOP geralmente está localizado em áreas do corpo mais comum em homens como por exemplo: no queixo, buço, ao redor dos mamilos, glúteos e parte interna das coxas.

O diagnóstico de SOP pode ser feito logo nos primeiros ciclos menstruais ou mais tardio, durante os anos de idade fértil. Algumas mulheres e adolescentes apresentam sintomas mais leves, o que torna o diagnóstico mais difícil e menos pensado, e isto muitas vezes atrasa o início do tratamento. 

O tratamento deve ser individualizado e levar em consideração muitos aspectos: desejo de engravidar, tratamento do excesso de pelos, tratamento para o excesso de peso e das alterações metabólicas e prevenção de hiperplasia e carcinoma de endométrio.

Se você tem irregularidades menstruais, excesso de pelos ou dificuldade para engravidar, buscar ajuda médica é essencial. O diagnóstico e tratamento de SOP geralmente são realizados pelo endocrinologista e/ou ginecologista, e o acompanhamento regular é fundamental para redução dos sintomas e sucesso terapêutico.


A Dra Amanda dos Santos Dal Berto atende na Policlínica, telefones (49) 9 9115-1911/ (49) 3527-4102.

Fonte: Portal Éder Luiz
Mais Notícias

Previsão do tempo para a região Sul do Brasil