quarta-feira, 5 de junho de 2019

Estados Unidos: Falta de motoristas chega a 65 mil e salários a US$ 250 mil ao ano


A falta de caminhoneiros segue sendo um dos assuntos mais preocupantes na América do Norte, especialmente nos Estados Unidos. Dados recentes do Census Bureau, o Departamento de Censo do Estados Unidos, apontam para um déficit de 65 mil motoristas profissionais.  A estimativa do órgão é de que este número chegue a 180 mil nos próximos 10 anos. 

Fatores como o envelhecimento dos atuais profissionais, exigências físicas, elevada carga de trabalho (normalmente 60 horas semanais) e a falta de interesse de jovens em seguir a profissão, são apontados como as principais causas da crescente falta de motoristas. 

"Eles não querem dirigir caminhões", disse Darren Tristano, CEO e fundador da consultoria Foodservice Results. "Eles estão olhando para isso e dizendo: 'Eu quero estar em algo mais glamoroso, mais voltado para a tecnologia'".

Os números alarmantes da escassez de profissionais são confirmados pelos problemas logísticos enfrentados por grandes empresas norte-americanas, como por exemplo, a dificuldade de se garantir a entrega de mercadorias e o aumento significativo dos custos de transporte. 

Para Lee Klaskow, analista da Bloomberg Intelligence, a escassez de motoristas é um problema de longo prazo e que vai piorar. “Isso vai custar dinheiro aos consumidores. Caminhões autônomos ainda estão longe de ser realidade. E mesmo que os legisladores consigam reduzir a idade mínima para os motoristas de longa distância, como alguns propõem, não ajudaria muito. O seguro para jovens condutores seria muito alto, o que dificultaria para a maioria deles”, afirma. Recentemente o governo norte-americano voltou a considerar a reduzir a idade mínima para se tornar caminhoneiro no país. Caso seja aprovada, a idade que atualmente é de 21 anos passará para 18 anos. 

Salários e bônus 

Uma das medidas que estão sendo adotadas pelas principais transportadoras norte-americana está sendo o pagamento de altos salários e bônus mensais. Segundo dados da Bloomberg, os caminhoneiros americanos autônomos podem ganhar até US$ 250 mil ao ano, cerca de R$ 80 mil ao mês, em conversão atual. 

E para atrair novos profissionais, empresas como o Walmart Inc, que possui uma frota própria de 6.500 caminhões, tem encurtado os processos seletivos e oferecido bônus de contratação que chegam a  US$ 1.500. Já a JB Hunt Transport tem oferecidos aos motoristas salários anuais de US$ 65.000 e bônus de contratação que chegam a US$ 2.500. 

"Ainda sim é difícil encontrar motoristas de boa qualidade", disse o vice-presidente executivo da JB Hunt Transport, Nicholas Hobbs.

Atualmente, do total de caminhoneiros nos EUA, 40% são estrangeiros, sendo 32% da América Central (México), 14% da Ásia e 11% da América do Sul.

Fonte: Caminhões e Carretas
Mais Notícias

Previsão do tempo para a região Sul do Brasil