quarta-feira, 30 de janeiro de 2019

Os mortos na tragédia em Brumadinho: 110 corpos localizados, 71 identificados

tragédia do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho (MG) deixou ao menos 110 mortos, dos quais 71 foram identificados até a última atualização desta reportagem (veja lista abaixo). Há também uma lista de pessoas desaparecidas e uma lista com pessoas resgatadas vivas.

Veja os nomes das vítimas identificadas:


  • Cláudio José Dias Resende

  • Claudio Pereira Silva
  • Cleosane Coelho Mascarenhas
  • Cristiano Vinicius Oliveira de Almeida
  • Daniel Muniz Veloso
  • David Marlon Gomes Santana
  • Djener Paulo Las-Casas Melo
  • Diego Antônio de Oliveira
  • Duane Moreira De Souza
  • Edgar Carvalho Santos
  • Edirley Antonio Campos
  • Edymaira Samara Rodrigues Coelho
  • Ednilson dos Santos Cruz
  • Eliandro Batista de Passos
  • Eudes José de Paula
  • Fabricio Henriques da Silva
  • Flaviano Fialho
  • Francis Marques da Silva
  • Gustavo Sousa Júnior
  • Janice Helena do Nascimento
  • João Paulo de Almeida Borges
  • Jonis André Nunes
  • Jonatas Lima Nascimento
  • Jorge Luiz Ferreira
  • Leonardo Alves Diniz
  • Luiz Cordeiro Pereira
  • Luiz de Oliveira Silva
  • Luiz Taliberti Ribeiro da Silva
  • Marcelle Porto Cangussu
  • Marcelo Alves de Oliveira
  • Márcio Flávio da Silveira Filho
  • Márcio Coelho Barbosa Mascarenhas
  • Márcio Mascarenhas
  • Marcus Tadeu Ventura do Carmo
  • Maurício Lauro de Lemos
  • Moisés Moreira Sales
  • Ninrode de Brito Nascimento
  • Noé Sanção Rodrigues
  • Renato Vieira Caldeira
  • Reinaldo Fernandes Guimarães
  • Renildo Aparecido do Nascimento
  • Renato Rodrigues Maia
  • Ricardo Eduardo da Silva
  • Robson Máximo Gonçalves
  • Roliston Teds Pereira
  • Rosilene Ozorio Pizzani Mattar
  • Sirlei de Brito Ribeiro
  • Thiago Mateus Costa
  • Wanderson Soares Mota
  • Wanderson de Oliveira Valeriano
  • Warley Lopes Moreira
  • Wellington Alvarenga Benigno
  • Wellington Campos Rodrigues
  • Wesley Antonio das Chagas
  • Willian Jorge Felizardo Alves
  • Wiryrlan Vinicius Andrade de Souza

  • Conheça a história de algumas das vítimas já identificadas na tragédia em Brumadinho

     Veja detalhes sobre as vítimas



    Marcelle Porto Cangussu — Foto: Reprodução/TV Globo


    A médica Marcelle Porto Cangussu, a primeira vítima identificada, tinha completado 35 anos no dia anterior à tragédia. Ela trabalhava na Vale desde 2016 e não estava escalada para trabalhar na sexta, mas foi chamada de última hora. O corpo de Marcelle foi enterrado no domingo, em Belo Horizonte.




    Jonatas Lima Nascimento  — Foto: Reprodução/Facebok


    Jonatas Lima Nascimento era de Congonhas, na Região Central de Minas, tinha 36 anos e trabalhava no setor de carregamento da Vale. A vítima deixa a esposa e dois filhos, uma garota de 11 anos e um menino de 5. Segundo a cunhada Driely Mariely, o corpo foi encontrado no caminhão em que Jonatas trabalhava.

    "A família está bem abalada, principalmente porque ele estava no IML desde ontem [sexta-feira] e o nome dele ainda estava na lista de desaparecidos neste sábado". Jonatas deve ser sepultado no domingo.



    Leonardo Alves Diniz — Foto: Reprodução/Facebook


    Leonardo Alves Diniz morava em Sarzedo, na Grande BH, tinha 33 anos, era casado e pai de um menino de 7 anos. Foi funcionário da Vale durante mais de 10 anos, como técnico em manutenção. Ele estava de folga e foi convocado para o plantão. O corpo dele foi enterrado no domingo, no Cemitério Bom Jardim, em Mário Campos.



    William Jorge Felizardo Alves — Foto: Reprodução/Facebook


    Willian Jorge Felizardo Alves tinha 36 anos. Parentes dele postaram nas redes sociais que o enterro ocorreu no domingo, no Cemitério da Paz. Ele trabalhava na barragem da Vale.



    Wellington Campos Rodrigues — Foto: Reprodução


    Wellington Campos Rodrigues tinha 53 anos, era analista de sistemas e trabalhava como funcionário terceirizado da Vale. Deixou três filhas, de 13, 20 e 25 anos. Segundo o irmão informou ao G1, ele foi identificado por meio de impressão digital. Nas redes sociais, uma das filhas postou: "Vá em paz, pai!!! O Senhor já te aguarda!!"


    Adriano Caldeira do Amaral — Foto: Reprodução

    Adriano Caldeira do Amaral era casado e tinha dois filhos. A mulher dele, Ana Flavia Silva, fez um post emocionado de despedida.


    "Meu amor, lembra da gente ainda bem jovem, eu e você, tantos sonhos, tantos planos. Começamos juntos de mãos dadas, descobrimos o mundo juntos, eu e você. Nos casamos, você preparou tudo, a nossa casa, nossa!!! E quando veio o nosso primeiro filho, Davi , o nosso presente de Deus... e que presente!!! Gostamos tanto que veio a Lis, nossa princesa. Nosso amor se multiplicou", escreveu a mulher.




    Daniel Muniz Veloso — Foto: Arquivo pessoal


    Daniel Muniz Veloso, de 29 anos, nasceu e cresceu em Coração de Jesus, no Norte de Minas, e trabalhava em uma empresa terceirizada que presta serviço para a Vale. A mulher de Daniel está grávida de oito meses do primeiro filho do casal. Em entrevista antes da confirmação da morte, Deiviane Muniz Veloso, irmã de Daniel, afirmou que o irmão temia que um acidente acontecesse. Segundo a família, Daniel aguardava o nascimento de Artur para pedir a transferência.

    "Eles levaram meu irmão para mina inteiro e me devolveram ele machucado, sem vida", disse Deiviane.




    Renato Rodrigues Maia — Foto: Reprodução/Internet


    Renato Rodrigues Maia era técnico de segurança na Vale. O enterro foi realizado nesta segunda-feira. Patricia Rodrigues Maia, irmã de Renato, diz que, além da dor da perda do irmão, outro parente está desaparecido. "A sensação é péssima, horrível. É um ente querido que não volta mais. O cunhado da minha irmã também desapareceu", lamentou ela.






    Djener Paulo Las-Casas Melo — Foto: Reprodução/Internet

    Djener Paulo Las-Casas Melo, de 31 anos, morava em Brumadinho e trabalhou na Vale nos últimos dois anos como operador de máquinhas. Após 13 anos de namoro, estava de casamento marcado para junho de 2019.


    A noiva de Djener, que não quis se identificar, disse que, apesar de tímido, ele era carinhoso e ligado à família que mora em Brumadinho. "Estava tudo acertado para casamos agora em junho. Ele era maravilhoso, sempre solícito e cuidadoso comigo, com a família e com os amigos. Não tem explicação a falta que ele vai fazer nas nossas vidas", completou a noiva.


    Fonte: G1 
    Mais Notícias

    Previsão do tempo para a região Sul do Brasil