quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

Detran-SC diz que não vai cumprir prazo para adoção de novas placas

O diretor do Departamento de Trânsito de Santa Catarina (Detran-SC), Francisco Wollinger Neto, afirmou em entrevista do Diário Catarinense que o órgão não vai cumprir o prazo para a adoção das novas placas no padrão do Mercosul. As declarações foram feitas na quarta-feira (5).

Wollinger Neto disse que a decisão local foi tomada por dois fatores. O primeiro diz respeito ao fim de ano e ao fato de que este é um período de férias. Ele acredita que a adoção das novas placas neste mês poderia trazer transtornos aos usuários. 

Além disso, ele alega que boa parte das empresas credenciadas para vender as placas ainda não estão com os cadastros regularizados junto ao Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). Uma das mudanças no novo sistema é que agora elas passam a ser fiscalizadas pelo órgão federal e não só pelo estadual, como ocorria anteriormente.

— Temos a intenção de implementar no mês de janeiro. Nosso sistema está pronto. Dependemos dos nossos credenciados — explicou o diretor.

Estoque para três meses
Ainda conforme o diretor do Detran-SC, o Denatran não tem como aplicar algum tipo de sanção ao órgão catarinense pelo atraso na adoção de novas placas. No entanto, ele ressalta que o Estado não deve receber a liberação para novas numerações no padrão atual, de três letras e quatro números.

— Temos um estoque que dura mais três meses. O Denatran sabe que não é por falta de vontade. São mais 70 mil placas a serem liberadas — disse.

Entenda o novo padrão
As placas do Mercosul foram definidas em resolução em 2014 e já são utilizadas na Argentina e no Uruguai. A proposta foi feita para criar um banco de dados único entre os cinco países do Mercosul (Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai e Venezuela), semelhante ao que existe na União Europeia. Isso facilita o combate ao tráfico de veículos roubados, já que as informações de cada automóvel ficam disponíveis em várias nações.

 Entre as tecnologias adotadas para a segurança, está a impressão de código de barras e QR Code nas placas.  Outra mudança é a padronização do fundo branco e a distinção de cores na borda para veículos de frete, oficiais etc.

A padronização deveria ter entrado em vigor em 2016, mas já foi adiada quatro vezes pelos órgãos executivos de trânsito. 

As novas placas também aumentam o número de identificações possíveis, já que passam a adotar mais letras do que números. No Brasil, o atual padrão pode se esgotar nos próximos anos.



Fonte: Diário Catarinense

Nenhum comentário:

Postar um comentário