sábado, 8 de dezembro de 2018

Carlos Moisés anuncia mais quatro nomes para o governo de SC

O governador eleito Carlos Moisés anunciou no fim da tarde desta sexta-feira mais quatro nomes para compor o secretariado catarinense a partir de janeiro de 2019. 
Foto: Susi Padilha - Divulgação


Conforme esperado, Lucas Esmeraldino estará no governo e assume a Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável e Turismo. Douglas Borba será o secretário da Casa Civil, que irá abranger a Casa Militar e Secretaria Executiva de Comunicação — as quais serão chefiadas por, respectivamente, João Carlos Neves Junior e Ricardo Dias.

Terceiro lugar nas eleições para o Senado há dois meses e presidente do PSL em Santa Catarina, Lucas Esmeraldino irá comandar a Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável e Turismo, que, na nova estrutura de governo, terá também o Instituto do Meio Ambiente. O anúncio era esperado após o ex-parlamentar renunciar ao cargo de vereador de Tubarão, para o qual foi eleito em 2016.
Foto: Susi Padilha / Divulgação

A secretaria da Casa Civil será ocupada por Douglas Borba, vereador em Biguaçu. O ex-parlamentar é especialista em Direito Público e atua também como advogado e professor universitário nas áreas de Direito Administrativo e Ética Profissional. A pasta que comandará tem status de "supersecretaria" por abranger a Casa Militar, a Secretaria Executiva de Comunicação e a Secretaria de Articulação Nacional.
Foto: Susi Padilha / Divulgação

Aliás, a Casa Militar será chefiada pelo coronel João Carlos Neves Junior, que comanda atualmente a 8ª Região de Polícia Militar — compreendendo os municípios da região de Laguna. Especialista em Gestão e Administração em Segurança Pública, iniciou no serviço público como oficial em 1987. Também atuou como diretor do Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires e subdiretor de ensino da PM.
Foto: Susi Padilha / Divulgação

O último nome anunciado foi de Ricardo Dias para a Secretaria Executiva de Comunicação. O jornalista trabalhou na Unisul TV, na Prefeitura Municipal de Tubarão e recentemente era o coordenador da NSC TV em Criciúma.
Foto: Susi Padilha / Divulgação


Cinco secretários definidos

Metade das dez principais secretarias anunciadas por Carlos Moisés na última segunda-feira já têm seus nomes definidos, sendo Paulo Eli (Fazenda), Leandro Lima (Administração Prisional), Jorge Eduardo Tasca (Administração), Helton Zeferino (Saúde) e Lucas Esmeraldino (Desenvolvimento Econômico Sustentável e Turismo). Restam os secretários de Educação, Segurança Pública, Agricultura e Pesca, Desenvolvimento Social e Infraestrutura e Mobilidade.

No caso da Segurança Pública, ainda não há definição do secretário para 2019 e dos membros do Conselho Permanente da Segurança Pública — que será formado pelos chefes do IGP, Polícia Civil, Polícia e Corpo de Bombeiros, com cada representante assumindo a pasta por um ano. Apenas o delegado-geral da Polícia Civil, Paulo Koerich, já foi anunciado pelo governador eleito.


A Casa Civil é considerada uma "supersecretaria" por abranger outras pastas que perderam o status de secretaria (apesar de manter o nome). Assim, Douglas Borba terá responsabilidade também pelos trabalhos de João Carlos Neves Junior na Casa Militar, Ricardo Dias na Secretaria Executiva de Comunicação e do futuro nome da Secretaria de Articulação Nacional.

Carlos Moisés (PSL) apresenta nova estrutura do governo de SC

O governador eleito Carlos Moisés da Silva (PSL) apresentou à imprensa na tarde desta segunda-feira a nova estrutura que o governo do Estado terá depois da reforma administrativa, que será encaminhada à Assembleia Legislativa em 2019.


Depois de confirmar a extinção de todas as Agências de Desenvolvimento Regional (ADRs), Moisés anunciou que o Estado terá 10 secretarias principais: Fazenda, Administração Prisional, Desenvolvimento Sustentável, Administração, Educação, Segurança Pública, Agricultura e Pesca, Saúde, Desenvolvimento Social e Infraestrutura e Mobilidade.

O governador eleito divulgou os primeiros quatro secretários definidos para a nova gestão. Dois deles permanecem: Paulo Eli na Fazenda e Leandro Lima na Administração Prisional, que terá as mesmas atribuições da pasta hoje denominada Justiça e Cidadania. As novidades são Jorge Eduardo Tasca na Administração e Helton de Souza Zeferino na Saúde.


Quanto à Segurança Pública, Moisés informou que a secretária não deve ter um secretário único. A ideia é que os chefes das quatro subdivisões da segurança _ IGP, Polícia Civil, Polícia e Corpo de Bombeiros _ formem um Conselho Permanente da Segurança Pública e que cada um deles ocupe a presidência desse grupo por um ano ao longo do mandato, sendo o responsável por coordenar os trabalhos da pasta.

Fonte: Diário Catarinense

Nenhum comentário:

Postar um comentário