quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Doença transmitida pelo gado preocupa produtores do Oeste de SC

A brucelose, doença transmitida pelo gado, preocupa produtores de Seara, no Oeste catarinense.

Desde o início do ano, 90 animais doentes foram abatidos. A infecção também pode ser transmitida a humanos através do leite e de secreções.

Seis propriedades de Seara já foram interditadas desde fevereiro, quando o primeiro caso de brucelose foi diagnosticado. Amostras de leite de toda a cidade estão sendo coletadas para análise. Outras duas propriedades com possível contaminação já foram identificadas e vão passar por mais exames.

Até esta quarta, seis pessoas tinham a bactéria em Seara. A transmissão para os seres humanos ocorre pelo consumo do leite cru vindo de animais doentes.

Já o contato com as secreções do gado pode transmitir a doença tanto para os humanos quanto para os animais.

Vacas infectadas podem sofrer aborto nos meses finais da gestação e facilitar o contágio.

Usar roupas de proteção no manejo do gado e consumir leite fervido ou pasteurizado são as principais maneiras de prevenir a doença nos humanos. O tratamento é longo e feito com antibióticos.

A veterinária da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) Fernanda Zordan Fontana afirmou que é uma doença grave, porque é de difícil identificação.

Ela tem sinais muito genéricos, como febre ao final do dia, mal-estar, dor de cabeça, principalmente dor nas articulações.

Em nota, a Secretaria de Estado da Agricultura disse que a Cidasc monitora 150 propriedades com registros da brucelose bovina e que Santa Catarina é o estado com o menor número de casos da doença no país.

Fonte: Rádio Tropical FM

Nenhum comentário:

Postar um comentário