terça-feira, 29 de novembro de 2016

Avião com equipe da Chapecoense cai na Colômbia. 71 mortes confirmadas

Segundo autoridades colombianas, há 71 mortos e 6 sobreviventes. Avião decolou de Santa Cruz de la Sierra (Bolívia) com 77 pessoas a bordo.


O avião que transportava a delegação da Chapecoense para Medellín, na Colômbia, sofreu um acidente na madrugada desta terça-feira (29). Segundo autoridades colombianas, há 71 mortos e seis sobreviventes. O avião da LaMia, matrícula CP2933, decolou de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, com 77 pessoas a bordo: 68 passageiros e 9 tripulantes.

Segundo comunicado da Aeronáutica Civil Colombiana, os seis sobreviventes são os jogadores Alan Ruschel, Neto e Follmann, o jornalista Rafael Henzel e os comissários de bordo Erwin Tumiri e Ximena Suarez. O goleiro Danilo também tinha sido resgatado com vida, mas morreu no hospital. O ex-jogador Mario Sergio, comentarista do canal FoxSports, está entre as vítimas, segundo o Bom Dia Brasil.

O acidente

O voo que tranportava a equipe da Chapecoense partiu na noite de segunda-feira de Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, em direção a Medellín. Segundo a imprensa local, a aeronave perdeu contato com a torre de controle às 22h15 (local, 1h15 de Brasília), entre as cidades de La Ceja e Abejorral, e caiu ao se aproximar do Aeroporto José Maria Córdova, em Rionegro, perto de Medellín.

O Comitê de Operação de Emergência (COE) e a gerência do aeroporto informaram que a aeronave se declarou em emergência por falha técnica às 22h (local) entre as cidades de Ceja e La Unión.

O diretor da Aeronáutica Civil, Alfredo Bocanegra, explicou à Rádio Nacional da Colômbia que, embora chovesse e houvesse neblina na região, o aeroporto Rionegro estava operando normalmente. Segundo ele, aparentemente foram falhas elétricas que causaram o acidente. O piloto relatou problemas à torre de controle do aeroporto de Santa Cruz, na Bolívia.


Mais cedo, a imprensa colombiana chegou a cogitar como causa a falta de combustível, mas também informou que o piloto despejou combustível após perceber que o avião iria cair.




As quatro pessoas que não embarcaram são as seguintes:

– Luciano Buligon, prefeito de Chapecó (SC)
– Plínio David de Nes Filho, presidente do Conselho Deliberativo da Chapecoense;
– Gelson Merisio (PSD), presidente da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc);
– Ivan Carlos Agnoletto, jornalista da rádio Super Condá, de Chapecó.

O nome dos passageiros do voo (com os seis sobreviventes):
– Luciano Buligon, prefeito de Chapecó (SC)
– Plínio David de Nes Filho, presidente do Conselho Deliberativo da Chapecoense;

– Gelson Merisio (PSD), presidente da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc);

O nome dos passageiros do voo (com os seis sobreviventes):

Imprensa:

Victorino Chermont
Rodrigo Gonçalves
Devair Paschoalon
Lilacio Júnior
Paulo Julio Clement
Mario Sergio Paiva
Guilherme Marques
Ari Júnior
Guilherme Laars
Giovane Klein
Bruno Silva
Djalma Neto
André Podiacki
Laion Espindula
Rafael Henzel (sobrevivente)
Renan Agnolin
Fernando Schardong
Edson Ebeliny
Gelson Galiotto
Douglas Dorneles
Jacir Biavatti

Diretoria:

Nilson Folle Júnior
Decio Burtet Filho
Edir de Marco
Ricardo Porto
Mauro dal Bello
Jandir Bordignon
Dávi Barela Dávi

Convidados da delegação:

Delfim Peixoto Filho

Comissão técnica:

Caio Júnior
Duca
Pipe Grohs
Anderson Paixão
Anderson Martins
Dr. Marcio
Gobbato
Cocada
Serginho
Adriano
Cleberson Silva
Maurinho
Cadu
Chinho di Domenico
Sandro Pallaoro
Cezinha
Giba

Atletas:

Danilo
Gimenez
Bruno Rangel
Marcelo
Lucas Gomes
Sergio Manoel
Felipe Machado
Matheus Biteco
Cleber Santana
Alan Ruschel (sobrevivente)
William Thiego
Tiaguinho
Neto (sobrevivente)
Josimar
Dener Assunção
Gil
Ananias
Kempes
Follmann (sobrevivente)
Arthur Maia
Mateus Caramelo
Aílton Canela
Tripulação:
Miguel Quiroga
Ovar Goytia
Sisy Arias
Romel Vacaflores
Ximena Suarez (sobrevivente)
Alex Quispe
Gustavo Encina
Erwin Tumiri (sobrevivente)

Angel Lugo


Ferido em queda de avião da Chapecoense, jogador Alan Luciano Ruschel é atendido em hospital na Colômbia (Foto: Guillermo Ossa/Reuters)





Narrador Rafael Henzel foi resgatado com vida do acidente (Foto: Reprodução/Twitter/Rafael Henzel )


Chapecoense embarcou para a Colômbia na noite de segunda (28), para disputar a primeira partida da final da Copa Sul-Americana, contra o Atlético Nacional, na quarta (30).

Inicialmente, o voo iria diretamente de Guarulhos (SP) para Medellín, mas o voo foi vetado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Em razão do veto, a equipe tomou um voo comercial até a Bolívia e, de lá, o grupo pegou o voo da LaMia (veja imagens do embarque da Chapecoense em Guarulhos).

Em comunicado, o clube de Santa Catarina informou que espera pronunciamento oficial da autoridade aérea colombiana sobre o acidente.

Em seu perfil no Twitter, o Atlético Nacional lamentou o acidente e prestou solidariedade à Chapecoense: "Nacional lamenta profundamente e se solidariza com a chapecoensereal pelo acidente ocorrido e espera informação das autoridades".

O primeiro jogo da decisão, marcado para esta quarta-feira, foi cancelado, segundo a  Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol). A CBF adiou a final da Copa do Brasil, entre Grêmio e Atlético Mineiro, que também estava prevista para quarta-feira.

Itamaraty, pelo telefone, informou que a embaixada do Brasil em Bogotá está em contato com as autoridades colombianas para obter informações sobre o acidente. A assessoria informou que as notícias ainda chegam desencontradas.

O Ministério das Relações Exteriores vai esperar um posicionamento oficial sobre vítimas e circunstâncias do acidente para se pronunciar. Está previsto que divulguem uma nota oficial ainda agora de manhã. O embaixador em Bogotá se chama Julio Bitelli.

A companhia

A LaMia (Línea Aérea Mérida Internacional de Aviación) é uma companhia de aviação que foi inicialmente constituída na Venezuela no ano de 2009 e depois mudou sua sede para a Bolívia (Santa Cruz de la Sierra).

A empresa vem sendo desenvolvida para voos não regulares (charter), com o objetivo de permitir o desenvolvimento de atividades no país e no exterior, com aeronaves de grande porte – de passageiros e de carga.

Avião do acidente com equipe da Chapecoense tinha 17 anos

O avião que transportava a delegação da Chapecoense para Medellín, na Colômbia, e que sofreu um acidente na madrugada desta terça-feira (29) tinha quase 17 anos e era britânico, segundo o portal espanhol Airfleets, que reúne informações sobre as compahias aéreas civis de todo o mundo.

O avião, um Avro RJ-85, que nasceu como British Aerospace 146, foi fabricado pela British Aerospace e tinha quatro turbinas. A aeronave deixou de ser fabricada em 2001 e sites especializados em acidentes aéreos na internet afirmam que pode ter havido a possibilidade de um problema elétrico.

A aeronave da LaMia, matrícula CP2933, decolou de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, com 77 pessoas a bordo: 68 passageiros e 9 tripulantes.Rádios locais dizem que a mesma aeronave transportou a seleção nacional da Argentina para uma partida no início deste mês no Brasil. Anteriormente, havia transportado a seleção da Venezuela.

A Força Aérea Brasileira (FAB) foi acionada e avalia como será sua participação na investigação do acidente e nas buscas.

Imagens do local onde caiu avião 
com delegação da Chapecoense: 







Fonte: G1 


Nenhum comentário:

Postar um comentário