sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Secretaria de Estado da Saúde prepara plano de enfrentamento da sífilis congênita em Santa Catarina

Eliminar a transmissão de sífilis da mãe para o bebê em todo o estado de Santa Catarina até 2019 é o grande objetivo do Plano de Redução da Sífilis Congênita que está sendo construído pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) da Secretaria de Estado da Saúde.

No ano passado, 475 bebês nasceram com a doença no estado, número 75% maior do que o registrado no ano anterior, quando as notificações de sífilis congênita totalizaram 272 casos.

A sífilis congênita pode causar aborto, má formação do feto e até morte do bebê.

O Plano de Redução da Sífilis Congênita de Santa Catarina estabelece diversas estratégias a serem implementadas a partir de 2017 com a meta de melhorar a qualidade da atenção à saúde da mulher e do seu filho durante a gestação e o puerpério.

Os objetivos são aumentar a cobertura da testagem para sífilis nas gestantes durante o pré-natal, bem como nos casais que estão planejando gestação; aumentar a cobertura de tratamento adequado nas gestantes com sífilis durante o pré-natal, incluindo o tratamento dos parceiros sexuais; e aumentar a cobertura de tratamento e o seguimento adequado dos recém-nascidos com sífilis congênita.

Fonte: Rádio Tropical FM

Nenhum comentário:

Postar um comentário