quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Siticom de Joaçaba organiza Seminário para reduzir o número de acidentes na construção civil

Na tarde desta terça-feira (27), estiveram participando de uma reunião nas dependências do Ministério Público do Trabalho (MPT) em Joaçaba, representantes do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário (Siticom).

O encontro tem por objetivo, tratar dos passos a serem dados para a realização no mês de novembro de um Seminário em data a ser confirmada, para reduzir os números de mortes e acidentes de trabalhos na área da construção civil na região de Joaçaba.

“A conscientização é a melhor forma para diminuirmos estes números expressivos. Daí a importância de todas as pessoas envolvidas na construção civil, para participarem deste seminário. Pretendemos melhorar a situação destas pessoas que trabalham nesta área para darmos exemplo não só nesta região, mas também para todo o Estado”, argumentou Bruno Martins Mano Teixeira, procurador do Trabalho na região de Joaçaba.

O objetivo de todos os representantes das entidades que participaram da reunião, é atingir a meta zero de acidentes graves de trabalho na região. Segundo os últimos dados e levantamentos, os números são expressivos e os mais altos em Santa Catarina.

“Depois de atuarmos e buscarmos a conscientização nas construtoras maiores, vamos agora manter contato com as de médio e pequeno porte, além das informais. Por isso a participação importante de todos nesta reunião, haja vista nossa dificuldade em conseguir levar as informações as construtoras menores”, salientou o procurador.

Na semana que passou, foi assinado um Termo de Adesão ao Programa Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho, por parte dos representantes do Siticom. Na oportunidade, o presidente do Sindicato, Pedro Nogueira Junior, apresentou o programa Joaçaba e região sem mortes no trabalho, como plano de ação que já vem sendo adotado no sentido de reduzir a quantidade de acidentes na construção civil da região.

Por Julnei Bruno

Fonte: Rádio Catarinense 

Nenhum comentário:

Postar um comentário