sábado, 27 de agosto de 2016

Jovem que estava sendo julgado por tentativa de homicídio em Herval, pega mais de 11 anos de prisão

Terminou no início da noite desta sexta-feira (26), o júri de Jonathan Luiz Terlan, denunciado pelo Ministério Público (MP) por tentativa de homicídio, ocorrido na rua Euclides Tortato no bairro São Jorge em Herval d´Oeste, na data de 19 de janeiro de 2015.

Naquela oportunidade, segundo Boletim de Ocorrência (BO) registrado na Polícia Militar (PM), Jonathan entrou atirando na casa de Cláudio Evandro Macedo (Nenê), que estava na companhia de sua esposa e uma criança. Dos seis disparos, quatro foram dentro da residência, sendo que um atingiu de raspão o peito de Nenê e o outro o braço direito, vindo a bala a se alojar na altura do cotovelo.

Depois da tentativa de homicídio, Jonathan Terla fugiu sendo recapturado mais tarde e conduzido para o presídio regional de Joaçaba, onde encontrava-se até a audiência que aconteceu nesta sexta-feira.

A sessão do Tribunal do Júri que aconteceu nas dependências da Câmara de Vereadores de Herval d´Oeste, foi presidida pelo juiz Luis Renato Martins de Almeida, tendo na acusação o promotor de justiça Fabrício Pinto Waiblein e na defesa o advogado Luan Fernandes Dias.

Ao final da sessão, o juiz fez a leitura da sentença reafirmando que pela prática do crime de homicídio qualificado tentado e “tendo em vista que o acusado Jonathan Luiz Terlan permanece preso desde o dia 9 de julho de 2015 até a data de hoje, com fulcro no art. 42, do Código Penal (CP), efetuo a detração de 1 ano, 1 mês e 18 dias da reprimenda, restando-lhe, portanto, o cumprimento de 11 anos, 4 meses e 12 dias de reclusão, permanecendo os demais comandos da sentença inalterado”.

O acusado voltou ao presídio regional de Joaçaba para dar continuidade ao cumprimento da pena.

Por Julnei Bruno

Fonte: Rádio Catarinense 

Nenhum comentário:

Postar um comentário