sexta-feira, 29 de julho de 2016

Treze Tílias: Continua repercutindo positivamente a audiência pública sobre energia elétrica promovida no Municipio

No encontro de Treze Tílias houve a participação do Conselho de Consumidores da CELESC, CONCELL, órgão consultivo voltado a orientação, análise e avaliação das questões voltadas ao fornecimento de energia elétrica e representantes da FACISC, FECAM, vereadores, empresários urbanos e rurais e outras pessoas consumidoras de energia, bem como as gerentes da CELESC de Videira e Joaçaba e técnicos engenheiros da empresa.

Estiveram também presentes 3 deputados estaduais, Romildo Titon, Natalino Lázare e Dirceu Dresch.

Nos debates ficou constatado a precariedade do sistema de fornecimento de energia em vários setores na região.

O maior motivo de apagões na região diz respeito a quedas de árvores nas redes.

Nesse quesito, os deputados presentes afirmaram que estava em pauta na Assembleia Legislativa um projeto de autoria do deputado Dirceu Dresch, visando normatizar o plantio de árvores ao longo das redes de distribuição.

O novo projeto estabelece a proibição de árvores de 15 a 20 metros de cada lado da rede.

Os deputados e os presentes entendem que reflorestamento e rede elétrica, juntos não funciona.

Para decepção de todos, o projeto na Assembleia Legislativa voltou às comissões de analise por solicitação dos deputados Marcos Vieira e Milton Hobus, o que acarretará mais atrasos na solução do grave problema.

No entendimento da maioria dos consumidores prejudicados e a própria CELESC, os deputados referidos, estão atuando em benefício de empresas de reflorestamento em detrimento da maioria da população.

Outro problema identificado e debatido na audiência pública, diz respeito ao chamado afundamento de tensão. São as pequenas variações de tensão, mais conhecidas como piscadas de luz, que duram milésimos de segundos, que provocam grandes danos a equipamentos muito sensíveis.

Esse problema foi denunciado pelo engenheiro da Tirol.

A empresa, segundo ele, chega a ter 200 horas/ano de paralização em função do problema.

É também o problema mais grave enfrentado pela Rádio Tropical FM.

A poucos dias um módulo do elevador foi danificado, por danos elétricos.

O custo do reparo foi de 5.980 reais.

Além desses eventuais problemas, essas pequenas quedas provocam a queda de potência da emissora  de 5 mil watts, para apenas 500 watts, reduzindo o seu alcance na mesma proporção.

Para voltar a normalidade o transmissor terá que ser desligado e religado.

A CELESC já está com técnicos no município, efetuando testes para descobrir suas causas e saná-las.

A CELES também anunciou que prossegue no trabalho de melhoria na rede de distribuição e posteamento na região.

Fonte: Rádio Tropical FM

Nenhum comentário:

Postar um comentário