terça-feira, 26 de julho de 2016

Treze Tílias: Aristides Cimadon, reitor da UNOESC de Joaçaba participou da seção de ontem a noite

Atendendo convite formulado por Pedro Calza presidente da câmara e demais membros da câmara de Treze Tílias, Aristides Cimadon, reitor da UNOESC de Joaçaba participou da seção de ontem a noite.

Aristides Cimadon, formado em filosofia, pedagogia com habilitação educacional, direito com mestrado em educação em Porto Alegre, mestrado em direito na Universidade Federal de Santa Catarina, doutorado em ciências jurídicas na UNIVALE e vários cursos de especialização na sua área de ciências jurídicas.

Cimadon acaba de regressar de seminários da Itália e Espanha.

É também membro da academia de letras e ciências jurídicas de Santa Carinta e reitor da UNOESC reeleito até 2018.

Ontem a noite ele proferiu palestra por cerca de uma hora em Treze Tílias e se submeteu a questionamentos do público presente por mais 90 minutos.

Outra atividade de Cimadon atualmente é se dedicar a gestão da Universidade do Oeste – UNOESC.

A UNOESC surgiu ainda durante o regime militar nos anos 60, iniciando pelo litoral catarinense.

A UNOESC de Joaçaba foi fundada em 1.968.

O primeiro curso superior foi criado em 1.974.

A UNOESC de Joaçaba mantem cursos na área de saúde, mantendo inclusive o Hospital Universitário com 50 leitos, cursos de engenharia e cursos da área de humanidade.

Atua na região, de Capinzal, Videira, Campos Novos, Chapecó, São Miguel do Oeste e outros municípios do extremo oeste.

Em 1.991 a UNOESC tinha 2.500 alunos. Hoje são 20 mil alunos.

De 70 a 80 professores, dos quais apenas 3 professores com mestrado.

Hoje são mais de 900 professores, dos quais mais de 50% com mestrado e mais de 700 funcionários de carreira.

Segundo Aristides Cimadon a Tirol nasceu com o primeiro grupo de formando do curso de administração em 1.974.

Na palestra de ontem Cimadon, profundo conhecedor da área da educação de países desenvolvidos, afirma que a área no Brasil vai muito mal, com a sua estrutura de governo sendo uma verdadeira calamidade.

Afirma que um país federativo, como o Brasil, faz uma verdadeira avalanche de leis  que não são cumpridas, se tornando em verdadeiro entulho.

Salienta Cimadon que o Brasil não tem comparação com países desenvolvidos como na Europa, Canadá, Estados Unidos e países asiáticos.

O Brasil perde até mesmo para os nossos vizinhos da América Latina, Argentina, Paraguai, Uruguai, Equador, Bolívia e Chile.

Cimadon classifica a qualidade do ensino médio Brasileiro, como perversa e muito ruin.

O ensino superior também é perverso no Brasil. Muitas universidades brasileiras vendem os diplomas como se fossem salvar o futuro e a educação dos nossos jovens.

Aristides Cimadon salienta que diploma hoje não ajuda ninguém. Segundo ele diploma não tem nada a ver com conhecimento e formação científica.

Mesmo diante desse caos descrito, Cimadon se considera um otimista e vislumbra boas perspectivas para o Brasil na área da educação, econômica e política.

Depois de sua explanação Cimadon respondeu perguntas dos vereadores e do público presente e enalteceu a iniciativa da câmara de vereadores proporcionando tão importante debate.

Nos nossos próximos programas jornalísticos levaremos ao ar uma entrevista mais completa sobre a palestra de ontem.

Fonte: Rádio Tropical FM

Nenhum comentário:

Postar um comentário