segunda-feira, 25 de julho de 2016

Estudante de Direito da Unoesc Joaçaba é aprovada na OAB com Mérito

Andressa Cristina Bussacro é a prova de que quando se tem determinação não há barreiras para atingir objetivos. A jovem de 22 anos, diagnosticada ainda no nascimento com retinose pigmentar, doença que afetou 100% da sua visão, passou de primeira no Exame da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), requisito necessário para exercer a carreira de advogada.

A estudante da Unoesc Joaçaba, que cursa a 10ª fase de Direito, disse que o sonho de exercer a profissão veio ainda quando pequena, por ser a área que considera ter mais afinidade. Estudar, entrar na universidade e até mesmo trabalhar, nunca foram problemas para Andressa, que se destaca em tudo o que faz.

— Todas as pessoas têm suas dificuldades, algumas financeiras, outras de aprendizado, por exemplo. Mas com dedicação é possível alcançar nossos objetivos — comentou a estudante, que não gosta de ser reconhecida como um modelo de superação.

Andressa enalteceu a importância da família nessa conquista, a qual considera a base de todo o seu sucesso. Também agradeceu os professores da universidade, que não mediram esforços para auxiliar em todo o processo universitário. Entre eles, a jovem fez questão de citar a professora Sarajane Candeia e o professor Leonardo Sanguanini.

Por suas inúmeras qualidades, Andressa sempre teve facilidade em manter relacionamentos, o que lhe permitiu durante sua trajetória de estudos contar com o apoio e a colaboração de diversos amigos.

PROVA DA OAB

O Exame de Ordem Unificado é dividido em duas fases de caráter eliminatório. A primeira é composta por uma prova objetiva, com 80 questões de múltipla escolha. Nessa etapa, são aprovados todos os candidatos que atingirem 50% de acertos de questões válidas. Já a segunda fase, chamada prova prático-profissional, é composta de duas partes distintas, compreendendo a área de opção do candidato. A primeira é uma redação de peça profissional privativa de advogado e a segunda são questões práticas, sob a forma de situações problema.

Andressa acertou 58 questões na primeira fase e atingiu a média 9,1 na prova prático-profissional. Em ambas as etapas contou com o auxílio de um ledor (aquele que lê).

— Na primeira fase esse ledor lia as perguntas e eu ditava as respostas para ele assinalar. A segunda fase fiz o rascunho em braille e o ledor transcreveu o que eu ditei no cartão resposta definitivo. Nesta fase também tive auxílio desta mesma pessoa para a consulta ao Vade Mecum — explicou Andressa, reiterando que ambas as etapas foram gravadas, sendo o ledor uma pessoa qualificada e escolhida pela Fundação Getúlio Vargas.

O resultado final da segunda fase do Exame de Ordem foi divulgado no dia 5 de julho.

FUTURO

Sobre o futuro, Andressa relatou que pretende advogar, entretanto não descarta a possibilidade de prestar concursos públicos. Atualmente é estagiária na Vara Criminal da Comarca de Joaçaba, local onde exerce funções como atendimento ao público, audiências de conciliação e elaboração de projetos de sentenças. A estudante está cursando as últimas disciplinas de Direito, com colação de grau agendada para o primeiro semestre de 2017.

Fonte: Jéssica Dayane Novello/Ascom Unoesc

Nenhum comentário:

Postar um comentário