terça-feira, 15 de julho de 2014

Campanários produzidos em Treze Tílias mantêm viva a cultura austríaca

Os tradicionais campanários europeus, que antigamente serviam de meio de comunicação, hoje são presença fundamental nas casas de arquitetura típica. Em Treze Tílias, os delicados e pomposos objetos de madeira e metal ficam em cima dos telhados e também dão boas-vindas na chegada às residências.
Grandes aos olhos dos turistas, os objetos nascem pequenos e cheios de detalhes no ateliê do artesão André Moser, o único que faz campanários em Treze Tílias e distribui para várias partes do país. O ofício de carpinteiro foi aperfeiçoado em um curso na Áustria e depois direcionado às peças decorativas.

Moser faz campanários há mais de 20 anos e, depois que se aposentou da profissão de mestre de obras, se dedica somente à fabricação dos objetos. Ele explica que, antigamente, o sino era utilizado como meio de comunicação nas regiões do Tirol austríaco, de onde vieram os primeiros imigrantes ao Brasil.

“Os trabalhadores iam cedo para a lavoura e quem ficava em casa usava o sino embutido no campanário para chamar para as refeições e outros recados. Conforme o número e o tipo de badaladas, significava uma coisa”, salienta o artesão.
Moser explica que, embora a maioria utilize os campanários em locais altos e de grande visibilidade, também há os objetos feitos para ficarem em frente às casas. Alguns tomam forma de caixa de correspondência e encantam quem passa pelos imóveis.


Além da madeira talhada e vernizada, as peças são formadas por um galo de metal, que saúda o dia, e carrega os pontos cardeais. No centro, o sino que anuncia os horários e dá simbologia à peça.

De pai para filho

Se a fabricação de campanários é presença garantida na vida do artesão, ele também passa os ensinamentos do ofício ao filho, Mauro Moser. Formado em gastronomia, morou mais de 20 anos na Áustria, mas escolheu voltar à terra Natal e hoje ajuda o pai nos serviços do ateliê. “É muito gratificante ver as peças ficarem prontas. Tem a preocupação com cada detalhe, o telhado não pode ter infiltrações”, diz, completando: “Uma peça demora cerca de 15 dias para ficar pronta e mandamos para diversas partes do país, conforme as encomendas. É um trabalho muito bonito, que eu pretendo seguir”.

Um pouco de história


Os campanários, tradicional peça formada por um sino e um galo e colocada no telhado das residências. De acordo com os moradores, Treze Tílias é a única cidade brasileira que cultiva essa tradição austríaca. Pela história, cada badalada do campanário tem um significado. Pode anunciar a hora do almoço e até uma data importante.

CLIQUE AQUI PARA VER VÍDEO DA REPORTAGEM


Fonte: Você Cidade - Treze Tílias

Um comentário:

  1. Estive em Treze Tílias, nascido eu no Rio de Janeiro e migrado para SC em Campos Novos me identifique com a cidade, logo, querendo me abrir para este novo mundo agricola e cultura europeia, Treze foi meu primeiro passeio depois de 5 anos em SC. QUE LINDO!!! foi assim minha primeira boa impressão, e o campanário sem palavras, dança, comida, a Cidade gratidão aos meus olhos recordação de algo que nem imaginava ter no BR. Volto ao final do Ano.

    ResponderExcluir